Nesse domingo (18), o programa Fantástico da Rede Globo exibiu uma reportagem sobre Marcel Mafra Bicalho que, segundo a polícia, movimentou quase R$ 1 bilhão nos últimos três anos, aplicando golpes financeiros, principalmente utilizando Bitcoins.

A polícia encontrou Marcel, que usava o nome falso de Marcelo Matos e tinha fama de “multiplicador de dinheiro”, em uma pousada em Porto Seguro, na Bahia, com custo estimado de aluguel, segundo informações da polícia, de R$ 30 mil.

O golpista usava pessoas que faziam propaganda do negócio por grupos de mensagens, conforme detalhou o delegado Márcio Dias. “Esses captadores eram para dar certeza do trabalho do Marcel, que era um trabalho sério, que ele tinha uma equipe grande de funcionários (…) Ele prometia um lucro de 100% no primeiro mês, e assim progressivamente, até o lucro de 500% no final de seis meses“.



Segundo a reportagem, os primeiros investimentos, feitos supostamente fora do Brasil ou em Bitcoin, realmente voltavam, o que era uma estratégia do golpista. “Eu saquei um pequeno valor, somente para testar o saque realmente, e o saque veio pra minha conta“, revelou na reportagem um dos clientes, que preferiu não se identificar.

Outra vítima, de Fortaleza, chegou a perder R$ 7 milhões: “Vamos supor que você investe R$ 100 mil, aí ele te paga 30%, aí você recebe 130, aí você fica animado que realmente tá pagando, aí a gente vai reinvestindo mais (…) Ele chegou a depositar 500 mil na minha conta e reinvesti de novo. (Fiquei com) zero, nenhum real no bolso”.

O superintendente de proteção a investidores da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), explicou ao programa com funciona esse tipo de esquema. “Funcionam como pirâmide financeira, em que o retorno, os saques, na verdade, são pagos com o dinheiro de novos investidores”.



Também em Fortaleza, o empresário Solismar Lopes vendeu, pela metade do preço, segundo o próprio, duas carretas que usava para trabalho e investiu cerca de R$ 500 mil no negócio, acreditando que em 60 dias recuperaria o investimento. Pelo site do golpista, seguiu acompanhando a movimentação financeira, que chegou a ultrapassar R$ 1 milhão, mas quando solicitou saque, não conseguiu.

Os advogados de Marcel disseram que os investidores sabiam dos riscos e que apenas sendo liberado ele pode continuar trabalhando para ressarcir aqueles que tenham se sentido lesados.

Já nesta segunda-feira (19), o Jornal Hoje, também da Globo, informou que Leonardo Oliveira Silva, suspeito de envolvimento no golpe, foi preso em Minas Gerais.

Segundo a CVM, esse tipo de golpe teve um crescimento de 538% nos últimos quatro anos e recomenda consulta no site (www.cvm.gov.br) para verificar se qualquer empresa que ofereça serviços financeiros tem autorização para investimento.

Confira a matéria do Fantástico na íntegra.