O deputado federal Júnior Bozzella (PSL-SP) enviou um requerimento à Câmara solicitando que o jornalista do The Intercept, Glenn Greenwald, seja convocado para ser ouvido em Audiência Pública da Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei nº 2303/2015, que “dispõe sobre a inclusão das moedas virtuais e programas de milhagem aéreas na definição de ‘arranjos de pagamento’ sob a supervisão do Banco Central“.

O objetivo, aponta o requerimento, é tratar sobre as divulgações de interceptações ilegais de comunicações, e tratar sobre a compra de informações de hackers com moedas virtuais.



Os hackers, aos quais se refere o deputado no requerimento, são os que foram presos pela Polícia Federal na operação Spoofing, acusados de terem obtido de forma ilegal conversas do aplicativo Telegram de dezenas de autoridades brasileiras, incluindo o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol e o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sério Moro. 

Até o momento, os suspeitos disseram não ter cobrado nenhum valor para entregar o material ao site The Intercept e que todo o processo foi feito de forma anônima, sem que eles se identificassem. No requerimento, no entanto, Bozzella aponta que “O pagamento em criptomoedas pode ter sido uma maneira de ocultar possíveis provas de mandantes para execução de crimes cibernéticos. Além dos graves crimes cibernéticos cometidos pelos hackers, coloca-se em questão a compra de informações de forma ilegal e criminosa, a divulgação de informações obtidas de maneira ilegal, e quais seriam os interesses por trás delas. Além da possível compra destas informações por moedas virtuais para ocultar provas e vestígios de quais os mandantes de interceptação ilegal de comunicações”.



O requerimento ainda precisa de aprovação dos demais deputados para que Greenwald seja convocado. 

Em julho, o jornalista já esteve em uma audiência pública na Câmara, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

(Foto: Cláudio Vitor Vaz / Arquivo)