O atual presidente da Argentina e candidato à reeleição, Mauricio Macri, sofreu uma grande derrota para a oposição nas primárias das eleições, realizadas no último domingo (11), o que agravou a crise financeira que o país atravessa. O peso argentino (ARS) caiu 30% em questão de minutos, enquanto o mercado de ações desabou 48% antes de se recuperar.

Segundo a CCN, Bitcoiners rapidamente disseram que o Bitcoin estava crescendo na Argentina, enquanto outros incentivaram os moradores locais a “encontrar segurança” na criptomoeda. No entanto, a narrativa foi contrariada por Alex Kruger, um macro comerciante argentino, que apontou que os hermanos estão buscando refúgio no dólar e apontou para pequenos volumes de BTC na Argentina.



Antes dos bitcoiners começarem a usar a Argentina (meu país) como desculpa para gritar ‘compre Bitcoin’ e gerar cliques e vender newsletters. Os argentinos querem se proteger contra o peso perdendo valor em relação ao dólar. E para isso, eles compram dólares”.

Ele acrescentou que não houve nenhum “voo dramático” para o Bitcoin na Argentina ontem: “Ao contrário da crença popular, o conhecimento do Bitcoin na Argentina é extremamente baixo (fora da indústria de tecnologia, onde é alta), e o mercado argentino de Bitcoins é pequeno”.

A ex-colaboradora do Bloomberg, Camila Russo, afirmou que o Bitcoin estava “surgindo” na Argentina e apontou para o prêmio BTC no intercâmbio de criptografia argentino Buenbit. Mas o prêmio não foi impulsionado pela alta demanda. Como Kruger explicou, é apenas uma troca ilíquida. Apenas 19 bitcoins foram negociados em Buenbit nessa segunda-feira (12). Não é preciso muito para distorcer os prêmios em um mercado tão pequeno.



Kruger também dissipou os volumes aparentemente grandes em Localbitcoins, onde apenas 23 BTC foram negociados na última semana.

Por fim, Kruger manteve sua postura de alta no Bitcoin e disse que os argentinos deveriam ter alguns, apesar de que, na realidade, no entanto, é que o BTC não é (ainda) o refúgio seguro durante esta crise cambial argentina.