De acordo com informações publicadas pelo Cointelegraph, repercutindo publicação do O Antagonista, o juiz Vallisney de Souza, da décima vara criminal do Distrito Federal, solicitou as exchanges brasileiras Foxbit, Braziliex e Mercado Bitcoin revelem quaisquer dados de movimentação com Bitcoin desde janeiro de 2018 por parte dos suspeitos presos na terça-feira (23), acusados de serem os responsáveis pelo hackeamento do ministro da Justiça e ex-juiz Sérgio Moro, como parte da Operação Spoofing – termo que se refere a um golpe eletrônico.

O juiz também ordenou que o Banco Central receba notificação para prestar informações e determinou uma “pesquisa no Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional (CCS), com o intuito de comunicar exclusivamente às instituições financeiras com as quais os investigados têm ou tiveram relacionamentos no período do afastamento do sigilo bancário, acelerando, assim, a obtenção dos dados junto a tais entidades“.

Ao G1, o advogado de um dos acusados disse que os recursos financeiros do seu cliente vêm de seu trabalho como DJ e como negociante de Bitcoins. “O Gustavo é DJ e, segundo ele, estava operando compra e venda de Bitcoin. Ele inclusive me autorizou a dizer isso por que tenho como comprovar a origem do dinheiro que tem na minha casa“.

Foto via @GeorgMarques